Tuesday, June 7, 2011

Pedro Tamen recebe hoje o Grande Prémio de Poesia da APE


Impenitente criador de mastros,
quanto a velas nem vê-las
- mais que de fugida
quando me olhas de olhos como estrelas,
minha vida.

Dos astros
desço então à hora parca
que o destino nos deu:
e fecho a arca
e tapo o céu.

PEDRO TAMEN

(poema publicado no número 27 da revista "Relâmpago")

4 comments:

  1. Helena Sacadura CabralJune 7, 2011 at 9:43 PM

    Pedro Tamen é não só um grande e fiel amigo, mas um dos nossos poetas e tradutores mais importantes!

    ReplyDelete
  2. Helena, então esteve na Buchholz e não me disse nada?

    ReplyDelete
  3. Helena Sacadura CabralJuly 1, 2011 at 7:18 PM

    Em certos meios, sobretudo agora - sei que me entende - colo-me às paredes para que ninguém me veja, para que me não "usem".
    Mas foi muito bom ter lá estado, creia.

    ReplyDelete
  4. Eu nunca uso ninguém. Palavra!

    ReplyDelete